terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O Ceu e o Mar!

 

Com o Passado tenho caminhado lado-a-lado ,
Com o Passado tenho sentido as tuas pegadas junto com as minhas,
Com o Passado procuro o Amor guardado,
Guardado está o diário onde minha inocência permanece!

O percurso sempre foi o mesmo,
E continuarei assim a percorrê-lo em busca de novas paisagens,
Novas Paisagens que completem-se pelas pegadas do passado,
Pegadas desenhadas em meu coração.

E assim começo a pintar novas paisagens em tons de verde,
Novas paisagens em que o mar desejará repousar,
Onde suas ondas se irão pelo Céu apaixonar,
E assim a magia reinar entre matérias opostas e almas gémeas!

E apesar de estarem predestinados a nunca se aproximarem,
O Céu e as Ondas do mar combateram contra a distância,
Através da partilha das emoções mutuamente sentidas,
Através das suas cores que nos transparecem tanto tristeza como alegria!



5 comentários:

Luz disse...

Querida Rosy,
Como estas palavras encaixam todas no que também eu sinto e, tenho sentido, vivido. Como dói, mas ainda assim continuamos a acreditar, talvez porque conservamos alguma inocência, aquela pureza de sentir que em nós permanece, nós que auspiciamos o amor, aquele amor, porque apesar de tudo ele existe.
Gostei como sempre deste sentido que me fez sentir tanto de mim.

Bjo de Luz

Sonhadoremfulltime disse...

Rosy,
estas tuas palavras surpreenderam-me pela positiva.
O que move o mundo é o amor.
Adorei ler este teu belo poema.

Bjinho

Luz disse...

Querida Rosy,
Há um presente desafio no meu anima para si, para o seu belo espaço.

Não sei o que aconteceu, mas os eu blogue desapareceu da minha lista de blogues que sigo e, agora até o sigo em duplo :), deve ter sido quando mudei a conta do blog!

Um grande beijinho e vá buscar o mimo que tenho para si :)

Lago Mudo disse...

É um Poema de um fresco e ingénuo equilíbrio... delicioso, Rosy.

O Profeta disse...

Apetece-me pintar a musica
Que me afaga a alma, desperta os sentidos
Apetece-me pintar-te o sorriso
Unir-te aos meus anseios antigos

Uma tela, universo ávido de um deus
Será o pintor o criador da cor do dia?
Um salteador das sombras da noite?
Ou apenas um semeador da nostalgia


Um boa semana

Doce beijo